Sobre o SQLite

O SQLite é um banco de dados embarcado relacional em open-source. O SQLite é extremamente popular - é o banco de dados mais utilizado, usado por navegadores populares, sistemas operativos, sistemas embutidos, aplicativos móveis...

Nós suportamos o SQLite diretamente em nossos produtos! Não são necessários drivers adicionais e pode se conectar diretamente ao seu banco de dados.

O SQLite não necessita de ser configurado e funciona como uma biblioteca em processo. Isso significa que nunca corre processos adicionais do sistema à parte do aplicativo que usa. O banco de dados SQLite completo com tabelas, índices e código é um ficheiro simples com a mesma estrutura em todas as plataformas suportadas. Isso significa que o SQLite pode simplesmente ser copiado e ser imediatamento lido noutro sistema. Muitos aplicativos salvam os projetos como bancos de dados SQLite - não é necessário reinventar o formato do ficheiro quando o SQLite é tão simples de usar e permite leitura rápida e fiável e escrita de todos os dados. Os bancos de dados podem ser encriptados utilizando qualquer extensão de encriptação, sendo a SQLite Encryption Extension (SEE) a extensão oficial.

O SQLite é muito compacto e (dependendo do compilador) pode ocupar menos de 500kb (até menos de 300kb quando se exclui recursos que não sejam necessários). Tem um ótimo desempenho em condições limitadas de memória e por isso é frequentemente usado em celulares, PDAs e aparelhos de MP3.

O SQLite tem como referência o PostgreSQL quando decide como lidar com o padrão SQL. Contudo, uma distinção importante é que o SQLite não impõe a verificação de tipos - determina dinamicamente o tipo. Uma linha da tabela pode ter um tipo específico, mas a coluna não irá impor o seu tipo quando os dados forem introduzidos. O que é muito confuso para quem já tem alguma experiência noutros bancos de dados relacionais, apesar de útil.

De momento os nossos produtos esperam que o SQLite esteja em conformidade com seu esquema de bancos de dados. Num futuro próximo planeamos ter a opção de analisar os dados dinamicamente e decidir o tipo de dados ótimo, da forma que já fazemos com os dados CSV, por exemplo.